Bem vindo ao noProvadoR.com

Este blog foi criado para tirar dos cabides pensamentos que devem ser experimentados. Não tenha receio de entrar neste ProvadoR que se propõe a ser amplo e livre de preconceitos. Entre. Prove. E fique à vontade para Levar o que quiser.
 

Arquivo de Junho, 2006

28 de Junho de 2006 - 2:54

Um Acessório Particular


- Ansiedade -
Nesta sexta embarco para Milão onde vou fazer um curso de “Image Consultant” no “Istituto Marangoni”, uma das Escolas de Moda e Design mais tradicionais e conceituadas da Europa. (aê!) - (www.istitutomarangoni.com)
Este curso intensivo de Consultoria de Imagem tem foco em Styling.
Ou seja, ele é um programa que prepara para Produção de Moda, Stylist, Consultoria de Estilo e Imagem, entre outras profissões ligadas a moda e estilo.
Trabalhando como Produtora de Moda do caderno Estilo do Jornal A Gazeta, e, paralelamente, prestando serviço de Consultoria de Estilo, sei que o importante é aprender mais e sempre.
Atualmente faço Artes Plásticas na UFES, e pós-graduação em Design e Produção de Moda na UVV, e enquanto isso vou fazendo alguns cursos de especialização em SP, e dois deles foram bastante importantes pra mim: o de Consultoria de Estilo com Titta Aguiar e o de Coloração Pessoal com Ilana Berenholc, ambos na área de consultoria.
E você pergunta: - Sim, mas o que faz o consultor de estilo e imagem?
(serei bastante sucinta, porque pretendo trazer mais tarde uma peça exclusiva sobre isso.)
O trabalho do consultor é guiar o cliente na busca de seu estilo próprio para que ele revele segurança através de sua aparência e comportamento, com base em seus valores pessoais e em sua visão de si próprio.

Mas essa é uma peça para mais tarde, por enquanto lembremos que o conhecimento é como o amor, das poucas coisas que quando divididas se multiplicam, (brega? Eu acho isso liindo!) vamos continuar dividindo idéias para que elas cresçam e se multipliquem!

Durante este período na Itália no ProvadoR será o espaço para experimentarmos muitas peças novas e frescas, direto de um dos maiores centros de moda do mundo!!

Ci vediamo! Ciao!

files2.jpg mariasanz



comentários (3)  
26 de Junho de 2006 - 10:44

Fare Bella Figura


files1.jpg Qual será a motivação, o impulso que nos leva a fazer-nos “belos” diante dos outros e de si próprio?
O que leva uma criança de 6 anos a passar o batom rosa de sua mãe?

E o que leva aquele senhor de 66 anos a passar colônia e pentear caprichosamente seus últimos fios de cabelo? Para depois saírem como pavões, ela para a escola e ele para sua mesa de xadrez na praça.

Qual será a ignição do motor de aprimoramento de cada um de nós?

Vamos separar as peças desta máquina:

Acredito que a ignição, a chave que liga, é o desejo individual de estar a altura daquele que se aprecia e se considera.
Portanto estamos ligados nisso desde muito pequenos; Desde logo somos encantados pela figura protetora e majestosa de nossos pais. O desejo de igualar-nos a eles é forte a ponto de nos levar a decidir a própria profissão aos 5, 6 anos (mas esta já é outra conversa, vamos nos ater ao aspecto físico desta história).
Enquanto pequenos imitamos aqueles que admiramos (nossos pais, professores, irmãos mais velhos), crescemos e aos poucos deixamos de imitá-los para que eles nos admirem também.
Procuramos desenvolver maneiras próprias para alcançar a consideração daqueles que apreciamos.

E você pergunta: mas o que alimenta esse motor?

Digo que é o desejo de novidade.
A novidade e o aprimoramento do próprio aspecto são tipos de necessidades humanas.

“O tempo tira a novidade das coisas, desvenda-lhe os defeitos, enfastia-lhe o gosto, e basta que sejam usadas para não serem as mesmas”.(Sermão do Mandato, P. Vieira).
E por isso buscamos coisas novas.

Procuramos fazer parte, pertencer ao mundo que está em constante movimento, e o fazemos através do consumo de informações novas, de novos conceitos, novos ídolos, da aquisição de novos produtos, novas tecnologias, novas sensações.

Por isso não resistimos às novidades. Elas nos alimentam por serem promessas de fazermos parte de um todo. É em busca desta garantia que nos recriamos a cada dia.

A moda é mais uma recriação humana, mais uma promessa.
A moda é uma novidade, e é isso que a faz ser tão irresistível.

Enfeitar-se, mostrar-se belo como faz o pavão é nossa natureza enquanto ser vivo. E fazê-lo de modo “novo” é uma necessidade imposta pelo desejo de recriação humana, e pelo tempo atrevido que gasta o ferro, gasta a pedra e a rocha, que dirá o corpo e a aparência.

Então, posso trazer uma novidade?
maria sanz



comentários (1)  
24 de Junho de 2006 - 21:56

A Cabine Espelhada


files.jpg Então você está no ProvadoR; Naquela hora da decisão diante de uma nova sugestão.

Naquele curto espaço de tempo quando é preciso dizer sim ou não à uma nova fantasia. Sem falar da expectativa daquele que te aguarda do lado de fora (talvez aqui seja: eu!) e que fica dizendo: - e aí? Ficou bom? Quer fazer algum ajuste? Vem cá, deixa eu ver?!

No momento ProvadoR você está num lugar cuidadosamente elaborado para se pensar.Certo? A luz é a ideal, o espelho fabuloso, a música é deliciosa e saltos altos te encaram. É hora de se apreciar, e principalmente se procurar.

Você tenta se reconhecer e se encontrar a cada nova fantasia experimentada. Em alguns casos é possível que te ofereçam café, champagne, uma aguinha… Tudo que possa tornar aquele momento mais prazeroso que duvidoso. E quando a dúvida menos espera eis que surge um rosto espantado: Nossa que lin-do, querida você está ma-ra-vi-lho-sa!!! Em algumas vezes você realmente está, o que confirma seu pensamento (Eu também achei, vou levar!), mas em outras, você não está nem ma-ra, que dirá vilhosa. Mas a cena é a mesma, e a cara assustada diz: - Vem ver Fulana, diz se ela não ta linda! - E mais, ta “super-usando” isso! (irritante). - Querida, que essa cor vai voltar com tu-do! (iiir-ritante).

E lá estão: você, o espelho, sua dúvida, e aquela pessoa que mais parece uma mãe de debutante repetindo “Ta linda”, “Ta linda”. E aí? Te pergunto. A) Vai levar na esperança que ela dizia a mais pura verdade? Afinal, ela só pode ter bom gosto? Mesmo sabendo que está correndo o risco de nunca usar a peça, nem mesmo num quarto escuro? E de olhar todos os dias para o próprio armário e ver aquele objeto agarrado a sua fiel etiqueta que nunca o abandonou? Mas o que há de tão grave nisso? Você pergunata. Aparentemente, a única gravidade contida na situação foi o desperdício do dinheiro. Mas o que é realmente importante é o que está por trás disso: Você ter deixado, ou preferido que uma outra pessoa decidisse por você. (leia a peça “Estilo?”). B) Ou vai ouvir seu instinto te alertar sobre uma roubada, afinal você se conhece o suficiente para saber quando o fogo é só de palha. Ser confiante. Saber o que quer. E o principal, estapear o medo de errar (leia a peça “Quem é Você”).

Ok; Esta é uma escolha pessoal; Mas aproveitando o fato de estarmos dentro de um ProvadoR, trouxe essa pecinha para você experimentar: Mas olha, fique à vontade!

maria sanz.



comentários (1)