Bem vindo ao noProvadoR.com

Este blog foi criado para tirar dos cabides pensamentos que devem ser experimentados. Não tenha receio de entrar neste ProvadoR que se propõe a ser amplo e livre de preconceitos. Entre. Prove. E fique à vontade para Levar o que quiser.
 

Arquivo de Junho, 2009

28 de Junho de 2009 - 10:47

Essa menina


essamenina.jpg

Me chamo Eduardo.
Todos os dias eu espero ela passar por aqui.

Eu espero sentado.

Quando ela anda, mexe os braços ao invés dos quadris.
Amarra os cabelos sem usar elástico.
Não usa perfume importado, mas tem cheiro de flor e um gosto raro.
É azeda e doce, dentro do mesmo momento. Do jeitinho que era aquele chiclete de goma rosado que a gente mascava, um atrás do outro no cinema e que, muito infelizmente, não está mais à venda.

Ah, ela é, sobretudo, um delicioso trago.
É sempre, muito, tudo e misturado.
Ela é o tumulto do show de rock, o calor da areia da praia, e o suor no pé do cabelo que molha os dedos da mão que passa, no meio do beijo, no meio da praça, na volta final do bloco de carnaval.

Ela ocupa espaço.
Quando dança, roda a saia, bate palma e canta alto.
Oferece sorrisos e a mão, mas pra quem sabe pedir, ela também dá o braço.
Mais tarde, sutilmente, vai tirar os sapatos e se você, por acaso, ainda estiver calçado, vai ouvi-la pedir que deixe os seus também de lado.

Fala muito, e para todo lado, e pode ser desbocada, se necessário. Não que lhe falte elegância ou respeito, mas é que ela acredita no fato de que a força do que se pensa também se frui através dos lábios.
E sempre foi assim: é intensa de nascença.

E toma cerveja, whisky, caipirinha. E faz bagunça. E ri à toa. E é atrevida.
Muda várias vezes ao dia. De idéia, de humor e de roupa.
Aprecia cada pequena coisa de que é feita a vida. Valoriza cada palavra que couber numa alegria, ou numa ferida. Mas, como também a lua varia, há dias em que ela fica estupidamente introspectiva.

ela é mesmo assim…

Quanto a mim, que não sou bonito nem feio, nem covarde nem corajoso, sei dizer que espero. Como quem se prepara para conhecer, no mesmo momento, o céu e o inferno. É que se um dia a vida, enfim, achar por bem nos fazer namorados, então estarei condenado.

- Jurado pra morrer da dor de saber que só minha (e para sempre) ela jamais vai ser.

É como disse, essa é uma menina de gosto raro. É azeda e doce dentro da mesma mordida, complexa em cada pedaço. E tanto engorda quanto mata sujeitos como eu, irremediavelmente apaixonados.

(Maria Sanz Martins).



comentários (19)  
21 de Junho de 2009 - 23:29

“Milk”


Então,
aí o dono da empresa, que tinha uma perna de pau, disse quando foi entrevistar o jovem (e cabeludo) Frank Zappa: “Com esse cabelo comprido, de onde eu estou sentado, você poderia ser uma mulher”.
E Zappa respondeu: “De onde eu estou sentado você poderia ser uma mesa”.

* (ah-há - adoro essa história!)

- Por que tem coisa que não dá pra ouvir calado. Por que o medo da rejeição talvez seja a pior das assombrações. E por que não tem bicho papão que se compare a um alto e sonoro “não“. (Tanto é que, até os dias de hoje, inúmeros armários estão lotados de gente que vive aterrorizada. Morta de medo da rejeição, do preconceito e da discriminação).

* Eu não sei se Frank Zappa, o músico, teve qualquer coisa a ver com o movimento de Harvey Milk, mas sei que ambos detinham a coragem de dizer a verdade e, sobretudo, de se recusar a viver pela metade.

“Milk” é uma história real e um filme extraordinário.
É também uma biografia, um romance e uma aula de história.

Harvey Milk foi ativista, político e pioneiro na luta pelos direitos homossexuais nos Estados Unidos.
Magnificamente interpretado por Sean Penn, que foi premiado com o Oscar de melhor ator neste ano; e dirigido por Gus Van Sant, “Milk” foi eleito o melhor filme de 2008 pelo Círculo de Críticos de Cinema de Nova York.

Na boa, imperdível!

Maria



comentários (6)  
15 de Junho de 2009 - 5:56

no!


(triste. hoje não vou escrever).

Preferi apresentar a letra de ‘Do it’ - que é fabulosa e foi composta por Lenine e Ivan Santos.

- Toda ela, eu amo! – a não ser pela frase em os meninos esqueceram de colocar a palavra ‘não’.

Mas aqui, agora, farei questão desta correção!

- fica assim, então:

Tá cansada, senta
Se acredita, tenta
Se tá frio, esquenta
Se tá fora, entra
Se pediu, agüenta

Se sujou, cai fora
Se dá pé, namora
Tá doendo, chora
Tá caindo, escora
Não tá bom, melhora

Se aperta, grite
Se tá chato, agite
Se não tem, credite
Se foi falta, apite
Se não é, NÃO, (não!), não imite.

naumimite.jpg

(Por favor, não.

Não imite o nome desse blog que eu amo e que é meu.
Que fui eu quem fiz, e que ninguém que me deu.

Afinal, *Provador (veja o link) só faz mesmo sentido quando se está no.

* Sim, foi um grande desrespeito imitar o meu ProvadoR desse jeito.
Mesmo sendo você um gigante como o GNT.)

..
Mas, pra o leitor amigo, que com isso, nada tem a ver, segue a letra de ‘Do it’, ou, em bom português, ‘manda vê’!

Se é do mato, amanse
Trabalhou, descanse
Se tem festa, dance
Se tá longe, alcance
Use sua chance

Se tá puto, quebre
Ta feliz, requebre
Se venceu, celebre
Se tá velho, alquebre
Corra atrás da lebre

Se perdeu, procure
Se é seu, segure
Se tá mal, se cure
Se é verdade, jure
Quer saber, apure

Se sobrou, congele
Se não vai, cancele
Se é inocente, apele
Escravo, se rebele
Nunca se atropele

Se escreveu, remeta
Engrossou, se meta
E quer dever, prometa
Prá moldar, derreta
Não, não, não se submeta!

enjoy!

maria, noProvadoR.



comentários (29)