Bem vindo ao noProvadoR.com

Este blog foi criado para tirar dos cabides pensamentos que devem ser experimentados. Não tenha receio de entrar neste ProvadoR que se propõe a ser amplo e livre de preconceitos. Entre. Prove. E fique à vontade para Levar o que quiser.
 

Arquivo de Outubro, 2011

31 de Outubro de 2011 - 11:59

I love TED Talks!


Amy Tan on creativity


Isabel Allende tells tales of passion


Paul Zak: Trust, morality - and oxytocin


Pamela Meyer: How to spot a liar




comentários (2)  
26 de Outubro de 2011 - 9:44

ny


Diário de um “baby-shopping”

ny2.jpg

Essa visita fugaz à NY me rendeu, além pechinchas para o enxoval 12-18-24 do baby Troy, um resfriado, uma dor na lombar e um par de bolhas no calcanhar.
É, fazer compras de roupa de bebê na Big Apple certamente vale a pena, mas, especialmente quando não se tem muito tempo, arranca o couro da gente.

Optei por não ir ao Woodbury outlet, que apesar de ter as lojas da Carter’s; Children’s Place; Disney; Gymboree ; NauticaKids; OshKosh B’gosh; Polo Children; Stride Rite e Tommy Kids, é longe (fica há uma hora de NY) e é preciso passar um dia inteiro para conseguir rodar tudo e, além disso, é muito comum as lojas estarem desfalcadas, com poucas opções. Portanto, ouvi as dicas de Pilar e Bibi e fiz as compras nas lojas de desconto, aqui em Manhattan mesmo.

Mas, para isso funcionar montei uma operação de guerra:

Dia 1. Cheguei no Hotel, o Sanctuary, que é uma delícia e fica na 132W, 47th St., esquina com Time Square, deixei a mala e fui (à pé) para Century 21 - que abriu uma loja nova na 66th St. com a Columbus Av. (antes era preciso ir até downtown, em frente ao no Ground Zero), e encontrei bastante coisa bacana com preço muito, muito bom.
Depois segui para a Macy`s, na 34th St., e também encontrei um monte de coisa de bebê na promoção.
Depois, fui à Disney Store, na Time Square, e não sei se pelo cansaço ou pelo grau do encantamento com aquele monte de bicho de pelúcia lin-do, aquela música de fundo incrível… Sei lá, sei que quando me dei conta estava na fila do caixa abraçada num monte de bicho e uma boneca (oi?).

*Nesse dia fui jantar no Eataly, 200, 5th Av., com a 23rd St. (O Eataly é uma espécie de italian food market que tem um restaurante de-licioso e, no terraço, uma Birreria que dispensa comentário).

Dia 2. Muito cansada. Peguei o metrô para a Union Square e fui direto na ‘Babies R Us‘ (aí, é aquilo…. Ho-ras) - nota: dessa vez não carreguei nenhuma sacola, mandei entregar no hotel pagando uma taxa de U$20 - aqui, vale muuuuito a pena. Saí de lá e fui para a Buy Buy Bay, que é outro universo paralelo, uma espécie de buraco que te suga e você perde o rumo e a hora - mas, que vale muito a pena. Se eu tivesse ido lá antes, eu não teria ido à “Babies R Us” (a Buy Buy Baby tem mais opção de produtos com preços melhores).
Anyway… Mas não acabou, como também pedi para entregar as sacolas no hotel, segui de mãos vazias rumo à Gap Kids, da 34th St. Achei boas peças na promoção. Atravessei a rua e fui ver o departamento Kids da H&M, aí sim… Excelente.

*Bagaçada, fui jantar no “Fig & Olive” no Meat Packing (bem bom).
Na sequência do jantar, fui à Apple Store 24 horas (só ela mesmo, porque eu estava morta).

Dia 3. Muito, mas, muito cansada. Chovia. Peguei o metrô para o Soho. Fui à 500 lojinhas fofas, carregando guarda chuva, mapa e sacolas… Na boa, foi f.
Para melhorar o humor, o Peep, restaurante no Soho, que me marcou em 2007, como o melhor ginger martini da minha vida, não serve mais esta iguaria (que ódio!). Mas, para não dizer que não falei das flores, marcou ponto minha amiga Pilar que recomendou o bistrô francês Balthazar, 80 Spring St, no Soho. Ma-ravilhoso.

*À noite, fui jantar no BuddhaKan, dica da Flávia que matou a pau, como diria meu pai. O restaurante é sensacional. O lugar é incrível, a comida, entre thai e vietnamita, deliciosa e o preço bom (precisa de reserva). Ah, ele foi cenário do filme Sex & The City “1″.

ny3.jpg

Dia 4. Último dia. Olheiras de urso panda. 5th Av.: Antropology (liiinda, livros, creminhos, camisolas… Ah, deliciosa, merece uma salva de palmas); Sacks (para comprar encomendas da minha mãe - nota: fui atendida na Estée Lauder por uma dupla de jamaicanas maravilhosas); F.A.O (que é demais e, como não tinha ninguém para me dar um beliscão, fiquei lá dentro sonhando por ho-ras…) e Urban Outfitters (sem comentários).
Depois fui à TjMAx na 6th Av. e achei horrível (pronto, falei). Corri para a Sephora da 34th St. e voltei para o hotel de carrocinha (aquela bike com bagageiro que é ligeiríssima).

Pronto. À noite, jantei no Pastis, no Meatpacking (que é do mesmo dono no Balthazar) e acabou!

- Enough baby shopping!
Voltei sã e salva. (Morta de cansaço e de saudade).

ny5.jpg

NY, até a próxima.



comentários (4)  
7 de Outubro de 2011 - 15:12

Casamento


casamento.jpg

Adélia Prado

Casamento

Há mulheres que dizem:

Meu marido, se quiser pescar, pesque,

mas que limpe os peixes.

Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,

ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.

É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha,

de vez em quando os cotovelos se esbarram,

ele fala coisas como “este foi difícil”

“prateou no ar dando rabanadas”

e faz o gesto com a mão.

O silêncio de quando nos vimos a primeira vez

atravessa a cozinha como um rio profundo.

Por fim, os peixes na travessa,

vamos dormir.

Coisas prateadas espocam:

somos noivo e noiva.

(Texto extraído do livro “Adélia Prado - Poesia Reunida”, Ed. Siciliano
- São Paulo, 1991, pág. 252.
)



comentários (3)